Select Page

Asetek Invicta bundle : Teste e análise

Sim Racer

Pilote e-sport & Passionné de Sim Racing, j’ai décidé de partager ma passion sur ce site web.

Conjunto Asetek Invicta

Benefícios

  • Feedback de força imersivo com os 27 nm da base
  • Pedaleira hidráulica com uma pressão nominal até 100 bar
  • Volante com acabamento em fibra de carbono e pegas abertas

Desvantagens

  • Pedal do travão muito difícil de utilizar
  • O volante deste pacote é baseado no da gama Forte

A nossa classificação: 9,6/10

Asetek entrou na corrida das corridas de simuladores, e a marca pretende competir com gigantes do segmento como a Simagic, Fanatec e até mesmo a Simucube. É preciso dizer que esta empresa, principalmente de arrefecimento a água, tem uma vasta experiência no campo do arrefecimento de CPU e/ou GPU. De facto, esta marca domina o segmento com as suas patentes de blocos CPU e GPU, os seus dissipadores de calor e também as suas bombas.

Praticamente todos os fabricantes de sistemas de refrigeração a água AIO, como a Corsair, NZXT, Be Quiet e muitos outros, utiliza patentes e desenhos da Asetek. E isso diz muito sobre as capacidades da marca. No entanto, penso que a simulação de corridas é um pouco mais complicada do que o arrefecimento a água e a Asetek continua a querer obter uma parte do mercado.

A marca dinamarquesa dispõe atualmente de 3 gamas de periféricos de corrida simulada: O Prima, Forte e Invictapara a gama de entrada, gama média e topo de gama, respetivamente. Cada gama inclui uma base Direct Drive, pedais e volante. Por fim, no que diz respeito aos volantes, a Asetek oferece atualmente 2, mas pelo que consegui encontrar na net, diz-se que a marca está a desenvolver um da Invicta. A seguir, vou apresentar-te os aparelhos ultra-premium oferecidos pela marca dinamarquesa.

Características principais e técnicas do feixe

  • Base Direct Drive com 27 nm de binário
  • Volante Forte com um diâmetro de 29 cm e pegas abertas
  • Pedaleira hidráulica com tecnologia THORP para pressões até 100 bar
  • Codificador de 22 bits baseado em
  • 12 botões, 6 interruptores rotativos, 2 interruptores e 3 codificadores no painel frontal para o volante
  • QR na parte de trás do volante idêntico ao do Simucube
  • Pedaleira disponível na versão S e um kit “Clutch” para um pedal de embraiagem extra

Conceção

Então, desenha. Começa pelo que está na base. O design do Invicta é praticamente idêntico ao do Forte, só que maior, o que é de esperar dado que a besta debita 27nm de binário. A carroçaria é feita inteiramente de alumínio, com aletas por todo o lado para ajudar a arrefecer o motor. Na parte da frente, a tampa inclui o QR idêntico ao do Simucube com uma ranhura de instalação.

Quanto ao volante, é o mesmo da gama Forte, uma vez que a Asetek ainda não lançou um para o Invicta, mas está a trabalhar nele. O design é agradável, com fibra de carbono na parte da frente, todos os controlos nas laterais e pegas grandes e abertas.

Terminamos com os pedais, que são a segunda peça de resistência. No geral, a pedaleira Invicta é inspirada na Forte, com bonitos pedais em alumínio, um prato com um acabamento soberbo e detalhes em laranja vivo em certas partes. É simplesmente linda e, tal como referi no teste do pacote Forte, esta pedaleira Invicta está disponível numa versão Pagani Huayra R!

GT DD PRO

Montagem por medida

A base Invicta oferece uma vasta gama de opções de montagem, quer a partir de baixo quer a partir da frente. A maioria dos chassis terá em conta as fixações para esta base, mas tenta encontrar um que seja ultra-sólido, uma vez que a pequena joia debita 27 nm de binário. Se optares pela montagem frontal, precisarás de um suporte que o permita, ou podes fazer furos diretamente no teu chassis a uma distância de 8,7 centímetros.

A pedaleira Invicta também está montada num quadro, e um quadro muito rígido. O sistema hidráulico deste aparelho pode suportar até 100 bar de pressão, o que é enorme. Podes fixar a placa principal da pedaleira diretamente no chassis sem grandes problemas.

Por fim, o volante do Forte encaixa diretamente no QR, que é muito semelhante ao QR da Simucube. E, para ser sincero, é praticamente a mesma coisa, porque as duas empresas trabalham juntas, por assim dizer. Na realidade, é mais uma licença para utilizares os planos, os desenhos, o software e uma série de outras coisas boas da Simucube. Em todo o caso, o volante encaixa diretamente na ranhura e fica lá, quente e confortável.

 

Fabrico e acabamento

A pedaleira e o chainstay Invicta utilizam alumínio de primeira qualidade para a sua estrutura, com peças maquinadas em CNC para os pedais. É ultra-premium, muito bem acabado, sem qualquer defeito de fabrico. O único ponto ligeiramente negativo da base é a utilização de plástico em algumas das coberturas, especialmente na parte da frente e na parte de trás. Não me parece muito bom, devo dizer, mesmo que sejam apenas caches. Então…

O volante é baseado numa estrutura composta. Por outras palavras: é plástico reforçado com fibra de carbono. É bonito de se ver, especialmente a parte de trás do volante do Forte, parece sólido nas tuas mãos, mas parece barato para um volante que custa um braço e uma perna. No entanto, o acabamento está à altura, com um dispositivo que é meticulosamente trabalhado, exceto talvez por alguns controlos que são um pouco pegajosos na utilização.

 

Como lidar com o pacote

Acho que a aderência do volante do Forte é realmente excelente. O volante é aberto na parte inferior, o que significa que os punhos não se encontram com o painel frontal, o que ajuda muito a ergonomia geral do volante. Além disso, o diâmetro dos punhos é bastante grande em comparação com os volantes bastante finos da concorrência, tornando-os mais fáceis de agarrar e mais ergonómicos.

Todos os botões estão bem posicionados, tal como as patilhas traseiras. Os únicos problemas deste volante são alguns botões difíceis de utilizar e o facto de o volante ter apenas 2 patilhas na parte de trás limita a sua utilização em muitas disciplinas de simulação de corridas.

No que diz respeito ao pedaleiro Invicta, é praticamente o mesmo que no Forte: os pedais estão quase a 90º, o que não é propriamente confortável a longo prazo, a não ser que tenhas uma posição de condução tipo F1 com as pernas levantadas. As regulações dos pedais também não são muito boas e acabamos por ter um dispositivo que não agradará a todos em termos de ergonomia.

Sensações durante o jogo

A base

Em primeiro lugar, tens de passar algum tempo no software Asetek para configurar corretamente a base, seja em termos de potência, ângulo de rotação, FFB, etc. Não esqueçamos que este desenvolve 27 nm de binário; é potente, e esta base pode facilmente magoar-te, mesmo muito mal.

Pacote Asetek Invicta 3

Depois de teres encontrado as tuas definições de potência, é pura felicidade utilizar a base Invicta em simulações de corridas. Vais sentir todos os detalhes produzidos pelo motor de física do jogo e tudo será transmitido na perfeição ao volante, quer se trate de detalhes leves e muito leves, detalhes grandes e muito grandes, detalhes subtis e tudo o que estiver entre eles. É uma alegria pura utilizar esta base em simuladores de corridas, e ter 27 nm de binário, que dificilmente utilizarás a 100%, significa que podes eliminar o “clipping” da vida do teu piloto virtual, o que, para mim, não tem preço.

 

O volante

Passemos ao volante Asetek Forte. A sua forma retangular facilita a sua utilização em todos os títulos de Fórmula e GT/endurance. Para mim, é perfeito, especialmente porque as pegas são abertas na parte inferior e são grandes em comparação com a concorrência.

Pacote Asetek Invicta 4

Este volante é pesado (cerca de 1,4 kg), mesmo com uma estrutura totalmente composta por fibra de carbono e plástico reforçado. No entanto, não vais sentir o seu peso nas curvas, uma vez que o modelo base fornece 27 nm de binário máximo. Este é também o caso do modelo base do Forte, que desenvolve 18nm de binário, pelo que não há impacto do peso bastante elevado da roda.

No entanto, o facto de existirem apenas 2 patilhas na traseira limitará a sua utilização, seja na F1 ou na GT. Não terás o Launch Control, a embraiagem e tudo isso com este volante, o que é uma pena. Além disso, alguns dos controlos, em especial os interruptores, são difíceis de utilizar e, por vezes, prendem-se ao correr. Não sei se se trata de um problema de tolerâncias ou de peças mal trabalhadas.

 

Os pedais

Terminamos com a pedaleira Invicta e a sua tecnologia THORP. Quanto ao acelerador, é um pedal bastante simples que tende para a suavidade. As sensações são lineares, com pouca resistência do mecanismo. Ao mesmo tempo, é um pedal de aceleração e queremos que seja fiável, preciso e reativo. A pedaleira Invicta é, sem o menor problema.

Pacote Asetek Invicta 4

O pedal da embraiagem é simples, mas mais complicado do que o pedal do acelerador. A embraiagem utiliza um sistema standard de duas fases, tal como se encontra na concorrência. Funciona muito bem, é fiável graças ao sensor Hall e é bastante flexível, ao mesmo tempo que oferece uma boa quantidade de ajuste de resistência. Gostei muito deste pedal, mas é vendido separadamente e custa quase tanto como uma pedaleira Load Cell de qualidade.

E o travão é um sistema hidráulico com uma pressão não inferior a 100 bar. O THORP é também um sistema de duas fases, sendo que a primeira fase é bastante leve e tem um curso curto, mas proporciona alguma travagem. Pensa nisso como aproximar as pastilhas de travão dos discos de um automóvel. E quando chegas à segunda fase, o sistema hidráulico, o curso do pedal pára virtualmente e, quanto mais pressão aplicares no travão, mais força o carro colocará no sistema de travagem, fazendo com que o veículo perca uma enorme quantidade de velocidade. Vou dizê-lo agora: é uma sensação ultrarrealista, especialmente se tiveres feito algumas sessões de corridas reais.

 

Compatibilidade

Obviamente, o Invicta bundle só é compatível com a plataforma PC/Windows neste momento, mas o fabricante está a planear modelos para consolas. No que diz respeito aos títulos de corridas simuladas, pude testar o AC, o ACC, o rFactor, o iRacing, o F1 2022 e uma série de outros jogos de corridas que são tanto de simulação como de arcada, e não notei quaisquer problemas.

Relação qualidade/preço

Isto vai doer-te. O conjunto completo custa quase 3.100 euros no site da Asetek, nas configurações de stock, ou seja, sem o pedal de embraiagem (mais de 300 euros) ou o pedal de pedaleira modelo S (mais 60 euros), e sem os suportes de base (entre 75 e 160 euros). A relação qualidade/preço é bastante boa, na minha opinião, mas o volante em material compósito é uma grande desvantagem.

 

O meu veredito

Só posso recomendar este pacote para pilotos de corridas simuladas profissionais ou experientes, e especialmente para aqueles com uma conta bancária saudável. A base é pura alegria e o pedaleiro também, mas precisas de um quadro de F1 para tirar o máximo partido dela, devido à posição vertical dos pedais.

Ao contrário do pacote Forte, recomendo-te que leves o Invicta completo sem a menor hesitação, se tiveres os meios (financeiros e técnicos). Tudo neste conjunto é perfeito, exceto talvez os materiais do volante, mas dadas as sensações que obténs, esquecerás isso muito rapidamente.

Pacote Asetek Invicta 3

Conjunto Asetek Invicta

Um pacote excecional para pilotos experientes.

Notez cet article

Vous risquez également d’aimer…

Moza ES : Teste e avaliação

Moza ES : Teste e avaliação

Moza ESBenefícios Vários controlos totalmente personalizáveis Acabamento e materiais de qualidade superior Excelente...

Moza CS V2P : Teste e Revisão

Moza CS V2P : Teste e Revisão

Moza CS V2PBenefícios Volante premium de alta qualidade Estrutura em liga de alumínio Ligação sem fios à estação de...

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest

PACOTES FANATEC ABAIXO DOS 400 EUROS
This is default text for notification bar